quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Preciso morrer

Completo hoje 40 anos de idade.
Quem diria!.....

Não faz muito tempo que sequer tinha noção do que seria ter esta idade, que mais apontava para a velhice do que a maturidade. Uma criança disse ontem pra mim: “o senhor ta mais pra idoso!”. Uma risada gostosa foi minha reação, lembrando-me de minha infância, quando tinha definição semelhante.

Iniciando a época da maturidade entendo que nem sempre recebemos aquilo que achamos merecer, assim como nem sempre damos o que devemos às pessoas (quanta vingança, quanta pequenez!). Presentes, reconhecimento, motivação para continuar, quando não, pelo menos, para apontar que estamos no caminho certo. Mas, o que sinceramente representa tudo isso? Marcas de nossa humanidade, de nosso ego.

Às vezes olho para mim e me acho como o vinho - quanto mais velho melhor, e às vezes me considero ultrapassado. Não sei bem como unir estes diagnósticos, não tenho certeza do sabor resultante desta mistura, principalmente porque em momentos de lucidez concluo que o melhor de mim é aquilo que não sou e não tenho. Descamando minha humanidade enxergo a amarração àquilo que é seguro, puro, coerente e carinhoso; vejo Deus soberanamente determinado a me fazer gente, persistindo em gravar em mim a sua marca.

Preciso morrer!

Sim, preciso, conscientemente, morrer, para que Deus seja visível em mim. Os cabelos brancos, rugas, dores, “tradicionalismo”, assim como o conhecimento, o raciocínio, a expressão do que sei, sou e tenho, tem de redundar em louvor e honra ao Senhor.

Sem demagogia, quem sabe a partir de agora aprenderei a morrer? Afinal, esta é a melhor maneira de viver!

4 comentários:

Pr. Mozart Paulino disse...

Parabéns Wagner,

Que o Senhor continue derramando Sua graça bendita a você, família e ministério.

Números 6:24-26

Mozart Paulino

Wilson Rocha disse...

"O que temos feito por nós mesmos,
morre conosco;
o que temos feito pelos outros e pelo mundo,
isso permanece"
Albert Pike


Obrigado pelos teus feitos em mim.

Parabéns meu professor, meu mestre!

Cida Regis disse...

O que depender de mim, voce já está morto. Pois o que vejo e aprendo,contigo, é a marca que me conscientiza do que Deus quer de mim. Obrigada, por me despertar e me ensinar os caminhos do Senhor. Que Deus te abençõe sempre.

Wagner Amaral disse...

o que vale a pena em mim devo ao Senhor. acho incrível ele usar um ser imperfeito e "mesquinho" como eu para aperfeiçoar outros. Mas, tudo bem, se Ele assim o quer, quem sou eu para ser contra? rsrs saiba que somente aprendemos algo quando ensinamos. é um privilégio à mim, a arte de ensinar.