sexta-feira, 22 de dezembro de 2006

Viver

“O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10).

Eu sei! A realidade humana é triste, fria e cruel. Mesmo com lampejos de sanidade moral e espiritual, quando surge fina paisagem de amor, de afeição, redundando em momentos de sorrisos, de satisfação; a parte nublada da vida humana é assustadora com seus trovões, relâmpagos, tempestades de ódio, de hipocrisia, de cobrança e da mais terrível indiferença.

O que é a vida para o homem? Nasce dependente, segurando mãos fortes e simpáticas, cresce independente, segurando mãos convenientes; e então, formado, vive a crise existencial entre o ser e o não ser, entre o ser humilde ou pedante, o ser vitorioso ou fracassado, o prevalecer Cristo ou a si próprio.

O que é a vida para o homem? Depois de “formado” é a morte. Muitos possuem medo assombroso da vida e não da morte. Ao contrário, lidam com a morte como simpática amiga, tamanho o medo da vida, o medo de ser exposto, de fracassar. Esta simpatia pela morte se dá pelo medo de não saber viver, por isso, mesmo estando vivo, respirando, muitos estão jazendo, levando a vida em compasso de morte com sua visão negativa, pessimista, com sua não-participação egoísta, com sua indiferença a tudo o que ouve e vê, incluindo o evangelho, não sendo envolvido e consequentemente não se envolvendo. O resultado? Morte. A pior de todas, a morte em vida.

O que é a vida para o homem? A resposta divina é Cristo. Ele veio para dar vida, e vida abundante. Não veio simplesmente como expressão da vida, mas sendo a própria vida que renova a vida no homem morto, perdido em meio a um mundo tenebroso, pintado pelo pecado que a todos assedia, domestica e vicia.

O que é a vida para o homem? A vida que Cristo trouxe ao homem. O evangelho vivido, chorado, curtido, gritado por um coração sem medo da autenticidade, da exposição, sem o desejo da vitória a todo custo, daquela cujo único objetivo é a vanglória. A vida em Cristo evita o matar, o roubar, o destruir em prol de todo e qualquer propósito. A vida em Cristo assume a característica teimosa do enxergar o outro sem rótulos, do perdoar, do dar, enfim, do amar.

Viver não é conquistar, mas sim ser conquistado por Cristo Jesus!

Um comentário:

Cida Regis disse...

Isso mesmo. Quando olho para trás, e me vejo em liberdade, gozando a vida, desafiando a morte.em aventuras mil.Eu reflito: pobre de mim, como eu era miserável, pois que a cada desafio conquistado eu me sentia uma heroina.Mal sabia que se meus pés revalassem um milímetro que fosse eu cairia direto no inferno. Glória a Deus!! Que pela sua misericórdia, proporcionou eu ser conquistada por Jesus Cristo.
Beijos.